31/01/2011 - 20:11 Atualizado em 31/01/2011 - 20:12

Detento do presídio de Avaré comandava tráfico de drogas e outros crimes no estado

O Tem Notícias conseguiu com exclusividade escutas telefônicas que comprovam o envolvimento do preso com o crime organizado

Da Redação / TV TEM

 

 

As ligações foram interceptadas com a permissão da justiça. Nelas, o detento falava com advogados na capital. Em um trecho transcrito pela polícia, Orlando manda "pôr os guarda roupa' tudo no chão, tudo certinho e ainda pergunta de quanto foi o lucro. Para a polícia, o guarda roupa citado é um carregamento de maconha.

 

O detento também pede, em outro trecho, para uma advogada que venda um "prédio", depois que a polícia apreendeu quase três toneladas de maconha na região de Sorocaba que seriam para seus companheiros.

 

Segundo o Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado e a Polícia Federal de Marília, essa e outras conversas mostram como Orlando, mesmo preso há dez anos, agia no tráfico.

 

Os advogados seriam o elo com a organização criminosa responsável pela compra e venda de drogas. Negócio, ainda segundo a polícia, que teria deixado o detento milionário.

 

No fim do ano passado, uma ação policial prendeu quatro advogados em várias cidades do estado. Também foram apreendidos dinheiro e drogas.

 

Orlando tinha até uma pessoa para comandar uma imobiliária, que cobrava aluguéis e condomínios atrasados de outros detentos e familiares.

 

O caso agora está com a justiça. A denúncia acusa dez pessoas de participação na organização criminosa. Orlando, mesmo preso em Avaré, vai responder um novo processo por tráfico de drogas.

 

Comentários

  • Nenhum comentário para esta notícia. Seja o primeiro a comentar.
AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal temmais.com. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal temmais.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.