11/08/2011 - 19:58 Atualizado em 11/08/2011 - 20:01

Falta de segurança preocupa moradores e comerciantes de Promissão

A rotina deles mudou nos últimos meses por causa da onda de assaltos e furtos

Da Redação / TV Tem

 

 

 

 

 

Já foi o tempo em que morar em cidade do interior significava tranquilidade. As conversas entre vizinhos, à noite na calçada, que marcaram a infância de muitos de nós, deram lugar as câmeras de segurança, ao monitoramento, ao receio de que um bandido chegue a qualquer hora. Quem mora em Promissão sabe bem o que é isso. A rotina de trabalhadores e comerciantes mudou nos últimos meses por causa da onda de assaltos e furtos. A esperança deles é que o governo do estado aceite proposta feita pelo município para aumentar o número de policiais na cidade.

 

Grades de ferro na porta do salão de beleza para se proteger dos assaltos. Câmeras de monitoramento para intimidar os bandidos. Os comerciantes de Promissão estão buscando formas de afastar os ladrões. Mas, nem todo esse aparato está sendo suficiente. A farmácia do seu Almir Bertelli foi invadida por dois homens armados com uma faca. Os bandidos esconderam o rosto com capacetes e levaram todo o dinheiro do caixa e ainda cartões para recarga de celular. O comerciante reclama da falta de segurança na cidade.

 

Em média, 25 policiais militares trabalham no patrulhamento das ruas de Promissão. O número exato não é divulgado pela PM. Na última semana, foi presa uma dupla de bandidos que cometeram pelo menos oito roubos na cidade. Apesar do trabalho, o capitão admite que faltam cinco policiais para completar a escala.

 

A prefeitura resolveu apoiar os comerciantes e entrou na briga para trazer mais oito policiais militares para a cidade. O governador de São Paulo recebeu novamente uma proposta para firmar uma parceria com o município. O convênio funcionaria nos mesmos moldes de como já acontece com o Corpo de Bombeiros. O estado daria equipamento e treinamento e o município arcaria com o salário desses policiais.

 

A ideia já tinha sido apresentada em 2009. O prefeito Geraldo Barbosa diz que o custo com a folha de pagamento seria descontado no repasse de ICMS que o estado faz para Promissão. Os moradores dizem que não se importam do município ter que gastar recursos para prestar um serviço que é de responsabilidade do governo estadual.  O delegado da Polícia Civil, Wellington Hernandes, também admite a falta de agentes para investigar os casos em promissão e espera a chegada de novos policiais nos próximos meses.

 

 

Comentários

  • Nenhum comentário para esta notícia. Seja o primeiro a comentar.
AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal temmais.com. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Portal temmais.com poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.